Universidade do Minho  

             
 
  Autenticação/Login
 
Home
Mapa do Site
Contactos
Como Chegar ao DPS ?
Email de Contacto
   
  imprimir
 

De 2 a 7 de novembro de 2015
Universidade do Minho
Departamento de Produção e Sistemas
Campus de Azurém
 

 
 
Jornadas do Núcleo EGIUM
  
  
 
X Aniversário do Alumni EGIUM

Programa

Convite | Programa


    VEJA AQUI A GALERIA DE FOTOS DO EVENTO

  Vote na sessão que
  considerou mais importante si
  www.govote.at
  código 22 35 14

Dia 5 de novembro 2015
Sessão de Abertura

João Monteiro, Presidente da Escola de Engenharia da UM
Valério de Carvalho, Diretor, Departamento de Produção e Sistemas
Madalena Araújo, Representante da linha IEM do Centro de Investigação ALGORITMI
Anabela Alves, Organização, Professora Auxiliar do DPS


Projetos finais de curso:
antigos estágios curriculares de Engenharia de Produção (EP), Engenharia e Gestão Industrial (EGI) e dissertações de mestrado do MIEGI - perspetivas dos orientadores

Moderador: Francisco Moreira, Professor Auxiliar, DPS
Sílvio do Carmo Silva, Professor Associado, DPS
Madalena Araújo, Professora Catedrática, DPS
Rui Sousa, Professor Auxiliar, DPS


Os oradores efetuaram uma intervenção inicial (disponível nos links junto à respetiva fotografia), relevando diversos aspetos chave relacionados com a estrutura pré e pós Bolonha, e, em particular, com os projetos de final de curso (dissertações) do Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial (MIEGI) e do Mestrado em Engenharia Industrial - ramo de Gestão Industrial (MEI – ramo GI). Das intervenções iniciais, e das interações subsequentes com a audiência, resultaram um conjunto de constatações e ilações de que se destacam: (1) Uma parte considerável das dissertações de Mestrado do MIEGI e do MEI são realizados em ambiente industrial na área da Gestão Industrial; (2) Dados relativos à conclusão de dissertações MIEGI dos últimos 3 anos indicam que a duração média das dissertações MIEGI concluídas anualmente está a diminuir, porém o número de dissertações não concluídas no respetivo ano letivo continua elevado; (3) A realização de dissertações em empresa constitui uma oportunidade singular de formação dos alunos e de interação com as empresas; (4) a Universidade do Minho é reconhecidamente a universidade portuguesa com maior impacto industrial (aferido em termos de projetos com indústria, patentes, spin-offs, etc.).


Projetos finais de curso:
antigos estágios curriculares de Engenharia de Produção (EP), Engenharia e Gestão Industrial (EGI) e dissertações de mestrado do MIEGI – perspetivas dos ex-alunos

Moderador: José Dinis Carvalho, Professor Associado, DPS
Hilário Pereira, COINDU (Lic. Engª Gestão Industrial)
Vitor Rocha, J. Moreira & Filhos (Eng. Produção)
Amândio Miranda, Barcelbal (Mest. Integr. em Eng. Gestão Industrial)


Uma primeira conclusão que foi tirada desta sessão é que o estagio no final do curso em contexto real numa empresa é assumido por todos os participantes com tendo um papel importantíssimo na qualidade da formação de um profissional em EGI. Um aspeto também relevante que foi reconhecido pelos 3 convidados foi a mensagem, que passaram para os atuais estudantes, de que grande parte dos conteúdos que foram cobertos nas diversas disciplinas durante o curso são de facto aplicados na prática das empresas e que muitas vezes tiveram de ir aos arquivos do material de apoio das disciplinas buscar ferramentas para usarem no seu trabalho. O estágio ou agora projeto de dissertação foi também referido como sendo um método privilegiado e excelente oportunidade de se conquistar um emprego como profissional de EGI. Finalmente quanto à questão se seria melhor escolherem uma multinacional ou uma pequena empresa para efetuarem um estágio a resposta não é direta uma vez que encontram muitas variáveis em jogo resultando em várias vantagens e várias desvantagens em cada uma delas.


veja a apresentação (pdf)


 

Mesa Redonda:
Benefícios dos projetos de final de curso: para os alunos? Empresas? Universidade?
Moderador: Anabela Alves, Professora Auxiliar do DPS
Hilário Pereira, COINDU (Lic. Engª Gestão Industrial)
Vitor Rocha, J. Moreira & Filhos (Eng. Produção)
Amândio Miranda, Barcelbal (Mest. Integr. em Eng. Gestão Industrial)
João Loureiro, Decathlon (Mest. Integr. em Eng. Gestão Industrial)
Pedro Calçada, Bosch (Lic. Eng. e Gestão Industrial)


Esta sessão contou com a presença de ex-alunos da licenciatura em Engenharia de Produção (Engº Vítor Rocha, JMS), em Engenharia e Gestão Industrial (Engº Hilário Pereira, Coindu, e Engº Pedro Calçada) e Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial (Engº Amândio Miranda, Barcelbal, e Engº João Loureiro, Decathlon) que, atualmente assumindo a posição de empregadores e supervisores, debateram em mesa redonda os benefícios dos projetos de final de curso (antigos estágios curriculares e atualmente dissertação de mestrado em contexto industrial) quer para os mesmos enquanto alunos numa retrospetiva a esse período quer para as empresas. Enquanto alunos referiram as competências adquiridas no ambiente industrial: a aprendizagem, o trabalhar das relações interpessoais, a oportunidade de realizar projetos reais e a oportunidade de emprego. Como empregadores e supervisores destacaram o reconhecimento aos alunos estagiários de trazerem conhecimento novo, novas ideias, um olhar diferente e a captação de novos talentos. Também identificaram algumas dificuldades neste processo por parte das empresas, nomeadamente, a necessidade de disponibilizar alguém para supervisionar e acompanhar os alunos, não terem planos delineados e/ou objetivos bem definidos, falta de meios e lidar com a desmotivação de alguns estagiários. Para finalizar, e do lado da Universidade, a moderadora apontou o benefício de trazer para a sala de aula alguns exemplos práticos resultantes da orientação de estagiários.


 


veja a apresentação (pdf)


Como alinhar expectativas dos empregadores com a universidade: instrumentos
Celina Pinto Leão, Professora Auxiliar, DPS
Isabel M. Brás Pereira, Prof. Adjunto, Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP)
Paulo Silva, Prof. Adjunto, Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP)


A sessão "Como alinhar expectativas dos empregadores com a universidade: instrumentos”, para além de Celina Pinto Leão (Professora Auxiliar do Departamento de Produção e Sistemas) contou com a presença de Isabel M. Brás Pereira (Professor Adjunto, Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), responsável da unidade curricular de Projeto/Estágio da licenciatura em Engenharia Química) e de Paulo Silva (Professor Adjunto, Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), Director da Licenciatura em EQ).
É através do Projeto/Estágio que o estudante tem oportunidade para demonstrar as suas competências. Independentemente da área de Engenharia, as expectativas dos empregadores quando aceitam um estudante em final de curso para aí realizar um estágio/projeto, são idênticas.Nesta sessão, foi descrita a experiência da realização do projeto/estágio, no âmbito da Licenciatura em Engenharia Química (ISEP) que conta com uma experiência de cerca de 10 anos. Os resultados preliminares do estudo (relativo aos últimos 5 anos) refletem  os pontos de vista dos empregadores e  pretende-se analisar a opinião dos orientadores dos estágios em relação ao conhecimento técnico- científico, ao desempenho e às competências dos estudantes durante a realização do estágio.
Como conclusões finais pode-se dizer que os estudantes mostraram  competências adequadas durante o estágio, e que as empresas estãorecetivas a repetir a experiência; os empregadores realçam a grande importância da existência de um  estágio curricular no plano do curso e uma esmagadora maioria de alunos revelou possuir  conhecimentos e caraterísticas adequadas à função do engenheiro químico.


veja a apresentação (pdf)


 



Dia 6 de novembro 2015
Sessão de Abertura
Rosa Vasconcelos, Presidente do Conselho de Cursos de Engenharia da UM
Lopes Nunes, Diretor do MIEGI
Diogo Correia, Presidente do NEEGIUM
João Antunes, Presidente do Alumni EGIUM


Aprendizagem por Projetos: 1º ano, 4º ano, PIEI e ENGINOVA: a minha experiencia
Moderador: Goran Putnik
, Professor Catedrático, DPS
Pedro Vaz, ex-aluno LEGI (PLE1), Bosch
Ariana Araújo, ex-alunaMIEGI (PIEI), Bosch
Ana Gabriela Loureiro, exaluna MIEGI (PLE4), Bosch
José Carlos Nogueira, aluno MIEGI (ENGINOVA), Continental
Bruno Lopes, aluno MIEGI2


veja a apresentação (pdf)


veja a apresentação (pdf)


 

Feedback empresas sobre PIEGI2. Faz sentido projetos em empresa no 1ºano? E no 3ºano?
Moderador: Rui Lima
, Professor Associado, DPS
Jorge Rodrigues, Nanium
Albano Fernandes, AMFShoes
Pedro Azevedo, SNA
Ivo Braga, Rembalcom
Sérgio Vicente, Bosch


veja a apresentação (pdf)


ERASMUS na vida profissional
Moderador: Lopes Nunes
, Professor Auxiliar, DPS
Marta Morais, ex-aluna MIEGI (Continental)
Mariana Nogueira, aluna 5º ano MIEGI
Filipa Pedrosa, aluna 5º ano MIEGI

Na sessão “Erasmus na vida profissional” participaram a ex-aluna da Licenciatura em Engenharia de Produção Aldora Gabriela Fernandes, a ex-aluna do Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial (MIEGI) Marta Morais, a aluna do 5º ano do MIEGI Filipa Pedrosa e a aluna do 5º ano do MIEGI Mariana Nogueira. As participantes partilharam com os presentes a experiência vivida no período de mobilidade realizado, tendo realçado a relevância dessa experiência no seu desenvolvimento pessoal e contacto com realidades culturais diversas. Todas realçaram tratar-se de uma “experiência única”, que ultrapassou significativamente as suas expectativas iniciais. Relativamente à importância da realização de um período de mobilidade Erasmus na vida profissional, as participantes indicaram que este contribuiu significativamente para uma melhor adaptação a ambientes de trabalho tão diversificados. Além disso, referiram que os empregadores valorizam o facto dos alunos realizarem um período de mobilidade Eramus durante a sua formação académica.


Integração na vida profissional
Moderador: Senhorinha Teixeira
, Professora Associada; DPS
Dr. Carlos Boticas, IEFP
Drª Lígia Pereira, Gabinete de Inserção Profissional, AAUM


veja a apresentação (pdf)


A última sessão do dia pretendeu mostrar aos alunos alguns dos vários organismos oficiais que podem tornar-se cruciais na sua integração na vida profissional. Para fazer um ponto da situação neste tema no âmbito do MIEGI, a moderadora da sessão pediu à Drª Carla Rocha, Técnica Superior do DPS, para apresentar o resultado de um inquérito aplicado aos 35 alunos que concluíram em 2013/14. O inquérito permitiu obter dados do estágio/dissertação e integração no mundo do trabalho desses 35 alunos.
De seguida, a Drª Lígia Pereira, diretora do GIP da AAUM apresentou este serviço gratuito que está continuamente e nos dois campi, aberto aos nossos estudantes e antigos alunos. É uma estrutura de proximidade ao serviço de emprego.
O Dr. Carlos Boticas, Diretor do Centro de Emprego do Médio Ave, apresentou depois e, de uma forma muito sucinta, as várias medidas ao dispor dos nossos alunos quando terminam o seu curso e querem entrar no mundo do emprego.

O Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P., serviço público de emprego português, assenta a sua ação num Modelo de Intervenção para o Ajustamento entre a oferta e a procura de Emprego, possuindo para o efeito um conjunto de funcionalidades, modalidades de serviços e instrumentos com os quais se procura agilizar a interação com candidatos a emprego e entidades empregadoras.
Neste âmbito, os Estágios proporcionam aos jovens (Estágios Emprego) e aos desempregados de longa duração (Reativar) uma experiência prática em contexto de trabalho, que não pode consistir na ocupação de postos de trabalho, visando promover a sua inserção profissional.
Por outro lado, com os apoios à contratação, destacando-se a medida Estímulo Emprego, procura-se fomentar a criação líquida de postos de trabalho e promover a contratação de públicos mais desfavorecidos, através da concessão de incentivos às entidades empregadoras, definidos em função do tipo de contrato de trabalho celebrado.
A medida Investe Jovem é um programa que tem por objetivo promover a criação de empresas promovidas por jovens entre os 18 e os 29 anos, pela concessão de apoios ao investimento, à criação de postos de trabalho e apoio técnico para estruturação e consolidação do projeto.
No campo da formação profissional, realçou-se a importância das medidas Vida Ativa e Cheque Formação, como instrumentos de melhoria de competências potenciadoras da integração na vida ativa..


veja a apresentação (pdf)


veja a apresentação (pdf)


Apresentação do ESTIEM LG Minho - European Students of Industrial Engineering and Management - Local Group Minho
Diogo Sá (aluno MIEGI)

<ver apresentação>


Inauguração do Quiosque Digital Alumni EGIUM - DPS, Azurém


Dia 7 de novembro 2015

ALMOÇO-DEBATE Alumni EGIUM - Centro Cultural Vila Flor
Debate com Dr. João Melo, Diretor Recursos Humanos da SONAE MC



 
  © 2017 Universidade do Minho  - Termos Legais  - actualizado por DPS Símbolo de Acessibilidade na Web D.